Que horas são?

Ideias não caem do céu nem dão em árvores. Pelo menos isso não acontece comigo.

Às vezes considero a criatividade como um músculo (q precisa ser trabalhado com regularidade). Outras vezes eu a encaro como uma antena (q precisa de ajuste e direção).

Mas independente da forma como eu a interpreto, o fato é q é sempre bom ter ideias, mesmo q elas pareçam batidas. Tenho muito medo de tê-las e me esbarrar em plágio consciente ou inconsciente. Mesmo assim não deixo de avançar com elas (ou não).

Gosto muito de relógios. É um tema bastante recorrente nas minhas “criações”. Volta e meia acabo tendo algum insight para um mostrador diferente para as horas e minutos. Mas no caso a seguir eu acabei brincando com os ponteiros do relógio analógico e o fato de q tanto as palavras HORA, MINUTO e SEGUNDO possuem o O como interseção (aliás, é a única letra em comum entre as 3). Boa parte daquilo q crio ganha primeiro as páginas de algum caderno (acho q venho me prometendo fazer algum vídeo sobre o caderno de ideias, mas sempre adio). As ideias hibernam, fermentam, seguem “esquecidas”. Como se esperassem algum processo, algum amadurecimento para ganhar vida.

E para esses “nascimentos”, estudar código tem sido muito bom. Em tempos pretéritos, a única coisa q eu podia fazer para conferir movimento aos meus trabalhos era usando programas como o Flash ou o After Effects. O gif abaixo mostra o resultado da experiência de escrever um relógio usando Javascript e P5. Para ver o funcionamento do mesmo em tempo real, clique aqui.

relogio

rasc_relogio

Que horas são?

Colorindo Pi

Faz um bom tempo q venho estudando alguma coisa de programação. Vencidos alguns bloqueios iniciais com internet (HTML e CSS), faltava ainda um terceiro elemento. Algumas pessoas fazem o seguinte paralelo: o HTML é o substantivo da web; o CSS seria o adjetivo e o Javascript, o verbo. De fato, boa parte da ação dentro da internet deve-se ao conhecimento e aplicação de alguma linguagem de programação e o Javascript é das mais populares.

Levei aí um bom tempo aprendendo o “a-bê-cê” de Javascript e ainda estou na fase de “soletrar” palavras, copiando frases dos outros e tentando escrever as minhas. Lembro-me q quando tinha minhas ideias, até avançava na parte visual das mesmas, mas sempre empacava na hora da programação. Ainda me recordo de um colega de trabalho, dos tempos de quando trabalhei com desenho animado, quando ele me disse: Marlon, aprende programação!

Dentre as muitas ideias “empacadas”, uma eu finalmente pude “tirar do papel” e comemoro como um grande avanço. Gosto muito da forma como as cores são “traduzidas” em números hexadecimais. Um dos meus primeiros estudos nesta área foi A cor da palavra, em que criei palavras a partir das letras da base hexadecimal (de A a F) e vi quais as cores resultantes das mesmas. Uma variação dentro deste tema seria pegar um número grande, muito grande, imensamente grande, dividi-lo em blocos de 6 algarismos e ver as cores resultantes. Então me lembrei de um dos números mais conhecidos. A minha “cobaia” foi o Pi, com seus infinitos algarismos. Com um pouquinho de paciência, consegui encontrar sites q disponibilizam seus “trocentos” primeiros algarismos. Bastaria depois “quebrar” estes algarismos, agrupá-los, criar um grid e colorir. Moleza, certo? Trabalhei com pouco mais de 10.000 algarismos de Pi. Dividindo por 6, obtive mais de 1.600 grupos, todos distintos. Mais um pouquinho de paciência e escrevi um código q serve não apenas para os 10 mil, mas eu poderia usar 100 mil, 1 milhão de algarismos, mas acho q seria um exagero (10 mil tá bom, né?).

O resultado foi um mosaico, uma “colcha de retalhos” formada por imensos “pixels” coloridos e pode ser conferido aqui. Durante o processo, lembrei-me de alguns trabalhos de Paul Klee e da minha mãe (q costurava e deve ter feito cobertas a partir de vários pedaços de tecido com certeza!).

Para um “estudante primário”, tenho ao mesmo tempo me divertido e aprendido bastante. Meu propósito estudando programação está bem longe de ser o de me tornar um desenvolvedor web. Sou (ou pelo menos me considero) artista. E todos os recursos q posso conhecer são bem-vindos como ferramentas expressivas.

pi-xel_vertical

Colorindo Pi