Palavra figurada

Minhas experiências com palavras e tipografia me fizeram montar uma página para concentrar a produção, o palavrafigurada.

palavrafigurada

Visitem e divulguem (se gostarem/quiserem/puderem…)

Anúncios
Palavra figurada

Fechando a semana

Gosto desses estudos q misturam a tipografia ao sentido da palavra. Considero um exercício muito bom para treinar a criatividade. Há um tempo eu publiquei algumas experiências sob o título de B-língue. Recentemente fiz algumas outras (animadas ou não), mas desta vez só explorando o nosso idioma.

navio

Fechando a semana

“All we need is love”

Quando eu era criança, lembro de ter conseguido um selo q eu achei (e ainda acho) muito bonito. Trazia ele apenas uma palavra impressa com uma fonte serifada (além da informação do preço e localidade). Não sei porque, mas ali o gosto pela tipografia já despontava, pois diferente de outros selos – q geralmente eram estampados com fotos, desenhos, gravuras – este só exibia letras e me fascinou. É claro que tudo ali funcionava, a começar pela palavra: LOVE. Quatro letras, duas consoantes, duas vogais. As cores e o “charme” da letra “O”, quebrando o rigor da fonte, permitindo-se sair do eixo, tudo harmônico. O autor da imagem é Robert Indiana e o selo que exibia seu trabalho tornou-se um ícone visual (como o  I ❤ NY). O selo começou a circular em janeiro de 1973, embora a imagem tenha sido criada anos antes. Descobri inclusive que se tratou de uma série serigráfica e ainda é possível adquirir uma cópia.

Anos mais tarde, eis q me envolvi com muita coisa: design, matemática, quadrinhos, ilustração, computação gráfica… Fiz duas versões utilizando a mesma palavra. As letras L, O, V e E, quando maiúsculas, podem ser representadas como formas geométricas muito simples: triângulos, círculos e retângulos. E apesar da simplicidade da forma, a “mensagem” é um dos maiores tesouros q podemos conquistar.

Ah! Disponibilizei as versões do meu LOVE na minha “lojinha virtual” no Colab55. E vale lembrar q o Dia dos Namorados vem aí, ok?

 

 

“All we need is love”

Pra que simplificar se a gente pode complicar

A frase foi empregada de propósito. Simplificar deveria ser sempre a única coisa a fazer, mas estamos aprendendo e o processo de aprendizagem é recheado de tentativas e erros.

Para a série B-língue, eu estava criando “dípticos”, usando uma palavra para ilustrar cada cartaz. Pensei se não poderia juntar as duas palavras numa imagem só…

Os estudos abaixo são uma tentativa de ver se este caminho pode ser mais interessante. Mas, como não poderia deixar de ser, insatisfeito com um resultado, acabei fazendo dois arranjos: em um, a leitura das duas palavras é mais fácil, mas no outro as intersecções das formas geraram efeitos legais, mas comprometeram um pouco a leitura de uma das palavras…

Fiz ainda uma última experiência envolvendo as mesmas palavras arara e macaw, investigando um pouco a simetria q existe nas letras q compõem as palavras. Arara pode ser lida no sentido da nossa leitura como tb de trás pra frente. Quando este “fenômeno” acontece, temos um palíndromo. Na palavra macaw, as letras M e W são simétricas no sentido transversal. Certas famílias tipográficas trazem a letra “a” (em caixa baixa) como sendo um círculo e um segmento de reta tangente a ele. Algumas fontes q assim representam a primeira letra do alfabeto são a Avant Gard, a Century Gothic, a Futura…

Misturei tudo isso e o resultado está aí abaixo, desta vez ignorando o significado das palavras, mas brincando um pouco com as letras q formam os verbetes.

Pra que simplificar se a gente pode complicar